segunda-feira, 30 de novembro de 2015

sábado, 28 de novembro de 2015

28 de novembro: Dia do Soldado Desconhecido


O Dia do Soldado Desconhecido é comemorado em 28 de novembro. Embora muitas pessoas tenham ouvido falar no Soldado Desconhecido ou no Túmulo do Soldado Desconhecido, poucos sabem o que isto significa ou mesmo que o dia do Soldado Desconhecido tem uma data de comemoração, o dia 28 de novembro, quando aqueles que morreram e foram enterrados sem qualquer identificação, durante as guerras, podem ser lembrados.

O Túmulo do Soldado Desconhecido é o nome que se dá aos monumentos erigidos em honra de soldados mortos em tempos de guerra e que não tenham sido localizados ou que não possam ser identificados. Na sua grande maioria, são túmulos simbólicos, apenas representativos, para relembrar os soldados de uma nação que morreram defendendo a pátria. Alguns, no entanto, contém os restos mortais encontrados depois dos terríveis acontecimentos que motivaram suas mortes.

A tradição de homenagem ao Soldado Desconhecido teve início na Inglaterra, no final da Primeira Guerra Mundial, quando houve o enterro de um combatente desconhecido, e o fato aconteceu em nome de todos os exércitos britânicos, tendo sido o enterro feito na Abadia de Westminster, em 1920. O ato simbólico comoveu a opinião pública e muitos países passaram a seguir o exemplo do Reino unido.
Um dos mais famosos túmulos de Soldado Desconhecido, atualmente, está sob o Arco do Triunfo, em Paris, que foi construído em 1921 para honrar os mortos não identificados do conflito ocorrido anteriormente, a Primeira Guerra Mundial.
Para os norte-americanos, o memorial mais famoso é o do Soldado Desconhecido da Guerra Civil dos Estados Unidos, terminada em 1866, que se tronou um dos períodos mais sanguinolentos e controvertidos da história norte-americana.


O Túmulo do Soldado Desconhecido no Brasil
Com o propósito de honrar a memória dos combatentes mortos em batalha, dando sua vida pela pátria ou por um ideal, a ocorrência de mortes não identificadas durante uma guerra é bastante comum e mais comum ainda que muitos que tenham morrido em combate em terras estrangeiras não possam ser conduzidos ao seu país de origem para um enterro honroso.

O Brasil está entre os países que prestam homenagens a esses anônimos soldados, tendo criado, no Rio de Janeiro, o Monumento Nacional aos Mortos da Segunda Guerra Mundial, que foi inaugurado em junho de 1960.
O monumento contém uma urna onde foram reunidos restos mortais de soldados não identificados, simbolizando os pracinhas que perderam a vida na Segunda Guerra, na Itália, quando foram lutar ao lado de americanos contra os alemães do Terceiro Reich de Hitler.
Entre nós, brasileiros, o dia de comemoração ao Soldado Desconhecido, representando todos os soldados que morreram na Força Expedicionária Brasileira, é o dia 2 de maio.
Os soldados brasileiros que lutaram e morreram na Itália, na época da Segunda Guerra, foram enterrados no Cemitério Militar Brasileiro de Pistóia, na Itália. Quando o Monumento Nacional foi construído, em 1960, os corpos foram trasladados para o Brasil e enterrados no monumento, onde se encontra atualmente uma pira, que fica permanentemente acesa em homenagem aos soldados perdidos em batalha.
Também em homenagem aos mortos, a embaixada brasileira em Roma hasteia diariamente uma bandeira nacional.

Nosso país é o único no mundo a possuir dois monumentos ao Soldado Desconhecido. Em 1967, na Itália, foram encontrados os restos mortais de um soldado da FEB, morto em batalha e não identificado. Seu túmulo foi declarado Monumento ao Soldado Desconhecido em terras italianas, dando-nos o privilégio de contar com um monumento também no local onde nossos soldados

sexta-feira, 27 de novembro de 2015

27 de Novembro, Dia Nacional de Combate ao Câncer

Médicos alertam: exames especializados podem auxiliar no diagnóstico precoce

A Portaria do Ministério da Saúde GM nº 707, de dezembro de 1988, instituiu o Dia Nacional de Combate ao Câncer com a finalidade de mobilizar a população quanto aos aspectos educativos e sociais no controle do câncer.


Liza Prado é autora da Lei 21.168, que institui a prevenção ao câncer de próstata em Minas e determina que o combate à doença seja considerado como uma das políticas estaduais de atenção à saúde do homem.  A Lei determina, também, a implantação e a difusão de formas eficazes de prevenção ao câncer, assim como a criação de condições para a melhoria da qualidade de vida do doente. A Lei 21.168 estabelece, ainda, o desenvolvimento dos recursos humanos na área da saúde, para que haja o aperfeiçoamento e a expansão da assistência aos pacientes.

PL 78 2011 - PROJETO DE LEI - INSTITUI O DIA DE PREVENÇÃO E COMBATE AO CÂNCER DE PRÓSTATA.
Autor: DEPUTADA LIZA PRADO


Novos casos de câncer surgem aos milhares anualmente, de acordo com as estatísticas dos institutos especializados. Os tipos mais frequentes são o de próstata, em homens, e o de mama e de colo do útero, nas mulheres. O que também não é novidade é que pessoas podem contribuir com a prevenção de determinados tipos de câncer com mudanças simples no dia a dia: alimentação correta, rica em verduras e frutas, associada com a prática de exercícios, para manter o peso adequado, evitar o tabagismo, alcoolismo e ter o hábito do sexo seguro, com o uso de preservativos. Para esses e outros alertas foi criado o Dia Nacional do Combate ao Câncer, lembrado em 27 de novembro.

No entanto, especialistas afirmam que a prevenção dessa doença ainda não é totalmente possível, uma vez que são vários mecanismos envolvidos em seu desenvolvimento aliados às características genéticas de cada pessoa. Por isso, a detecção precoce é importante para salvar vidas, uma vez que, quando diagnosticados e tratados precocemente, muitos casos de câncer são curáveis.

Aqui, alguns especialistas comentam sobre exames disponíveis em centros de medicina diagnóstica para a avaliação complementar dos tipos de câncer mais frequentes e de como eles são capazes de indicar uma suspeita ou a necessidade de melhor investigação diante de um caso suspeito.

Câncer de Próstata Segundo Leonardo Kayat, radiologista integrante do corpo clínico da CDPI, o cuidado inicia com a visita ao urologista. Ele reforça a importância dos exames tradicionais, como o antígeno prostático específico (PSA) no sangue e o exame de toque retal, mas afirma que, atualmente, existem meios complementares de detectar o câncer no caso de suspeita da doença, como a ressonância magnética, que vem ganhando força como auxílio no diagnóstico. “O exame vem evoluindo como uma modalidade poderosa na localização e no estadiamento desse tipo de câncer, exibindo um desempenho superior ao exame de toque retal ou à ultrassonografia”, argumenta Leonardo.

Câncer de MamaA Dra. Fernanda Philadelpho, radiologista especialista em mama e integrante do corpo clínico da CDPI e da Alta Excelência Diagnóstica, chama a atenção para a importância da mamografia como método de detecção precoce do câncer de mama, especialmente após os 40 anos. E complementa que, em certos casos – como nas mamas densas e na presença de nódulos, assimetrias e distorções do parênquima mamário previamente detectados no estudo mamográfico – a ultrassonografia das mamas pode ser um excelente exame complementar para o esclarecimento diagnóstico. A ressonância magnética tem sido indicada para pacientes de alto risco genético (> 20%), com câncer de mama recentemente diagnosticado, para pesquisa de tumor adicional, avaliação de implantes de silicone e de resposta quimioterápica, pesquisa de tumor oculto na vigência de metástase axilar e diagnóstico diferencial entre fibrose e recidiva tumoral. A biópsia percutânea de lesões mamárias é um método largamente utilizado e pouco invasivo que permite o diagnóstico patológico. Um fator de extrema importância é a correlação dos resultados das biópsias com os achados clínicos e de imagem. Estes devem ser sempre avaliados e discutidos entre o radiologista que realizou o procedimento, o patologista e o médico da paciente.

Segundo o Dr. Almada Horta, gestor do Setor de Citopatologia do Sérgio Franco Medicina Diagnóstica, a prevenção do câncer de colo de útero, por meio do exame citológico, é fundamental, pois permite controlar essa doença de alta incidência no Brasil, ao diagnosticar e tratar suas lesões precursoras.

Esse processo consiste em visitas periódicas ao ginecologista para coleta de células do colo uterino e envio do material ao laboratório de patologia para realização do exame citológico (teste de Papanicolaou).

Em vigência de um exame citológico alterado, há indicação de uma investigação complementar, a colposcopia, quando o ginecologista observa a vagina e o colo uterino através de um aparelho que possui lentes de aumento e que, após a aplicação de corantes, permite identificar a localização de áreas anormais. Essas áreas podem ser avaliadas por meio da biópsia do material encaminhado para análise histológica no laboratório de patologia. Ao se confirmar a presença de lesão precursora (não invasora) de alto grau, posteriormente, esta será retirada, e a paciente será considerada curada, devendo permanecer em controle citológico e colposcópico.

A medicina diagnóstica moderna desenvolveu, para o acompanhamento dessas pacientes, testes de biologia molecular, como os métodos de captura híbrida, genotipagem ou PCR, que permitem a identificação e a subtipagem do Papilomavírus humano (HPV), agente que pode predispor ao desenvolvimento de câncer de colo uterino. É importante sinalizar, porém, que a positividade desses testes não significa que a mulher, obrigatoriamente, apresente lesões precursoras ou câncer. O resultado negativo dessas avaliações de biologia molecular tem, porém, forte impacto para minimizar o risco de lesões precursoras no colo uterino. 


27 de novembro: Dia do Engenheiro de Segurança do Trabalho e do Técnico de Segurança do Trabalho

Presidenta da Utramig, Liza Prado comemora mais uma formatura de técnicos de Segurança do Trabalho em Belo Horizonte e Nova Lima, em dezembro próximo, e a abertura de turmas na unidade de Uberlândia.


As profissões de Técnico de Segurança do Trabalho e de Engenheiro de Segurança do Trabalho foram regularizadas pela Lei nº 7.410, de 27 de novembro de 1985, no entanto, muito antes desta data, as atividades do Engenheiro e do Técnico de Segurança já eram desempenhadas. Esta portaria definiu que, para se exercer a função de Engenheiro de Segurança do trabalho, é necessário cursar a Graduação em Engenharia e depois se especializar com uma pós-graduação em Segurança do Trabalho.
   Todos os processos e atividades que envolvem a Saúde e Segurança do trabalhador, inclusive as funções do Técnico de Segurança do Trabalho e do Engenheiro de Segurança do Trabalho, estão registrados nas Normas Regulamentadoras. 


   A primeira versão das Normas Regulamentadoras foi publicada em 1978, e por elas estabeleceu-se a obrigatoriedade de serviços e programas responsáveis pelas questões relativas a saúde e segurança no ambiente de trabalho. As atividades desempenhadas pelos Técnicos de Segurança do Trabalho são:
  • Responsabilidade de aplicar os conhecimentos específicos de engenharia de segurança e medicina do trabalho com o objetivo de reduzir ou até eliminar os riscos à saúde do trabalhador;
  • responsabilidade por orientar e treinar os trabalhadores quanto ao cumprimento das normas regulamentadoras de segurança e medicina do trabalho, o uso e conservação correta dos Equipamentos de Proteção Individual (EPI).
  • O Técnico de Segurança do Trabalho também deve se envolver nos processos industriais para auxiliar na análise da melhor forma de se executar as tarefas com o maior índice de segurança possível.

   O trabalho do Engenheiro de Segurança visa a prevenção de riscos nas obras, com o objetivo de preservar a vida das pessoas. Além de supervisionar e orientar tecnicamente o serviço em diversos segmentos, ele também controla e fiscaliza sistemas de proteção coletiva e equipamentos de segurança e prevenção contra incêndio e pânico assegurando qualidade e segurança à obra.
      A profissão de Engenheiro de Segurança do Trabalho e de Técnico de Segurança do Trabalho é de extrema importância para a saúde dos trabalhadores. Parabenizamos todos os profissionais da área de SST (Saúde e Segurança do Trabalho) e, em especial, no dia 27 de novembro. 

Parabéns pelo seu dia!

quinta-feira, 26 de novembro de 2015

NOVEMBRO AZUL NA UTRAMIG


Alunos e professores da Utramig se inseriram à campanha Novembro Azul, de combate contra o câncer de próstata, com a realização de atividades nos intervalos de todos os turnos, na sexta, dia 26. Além de distribuição de panfletos da Secretaria da Saúde, alertando sobre a doença, os estudantes de RH promoveram apresentações artísticas, com dança do ventre e Street dance, no pátio em frente à cantina.

PRESIDENTA DA UTRAMIG, LIZA PRADO É AUTORA DA LEI QUE INSTITUI O DIA 21 DE NOVEMBRO COMO A DATA DE PREVENÇÃO E COMBATE AO CÂNCER DE PRÓSTATA EM MINAS
Campanha Novembro Azul alerta homens sobre a prevenção da doença
Para alertar os homens sobre a importância do diagnóstico precoce do câncer de próstata, o Brasil se colore de azul durante todo o mês de novembro. Liza Prado é a autora da Lei 21.168, que institui a prevenção ao câncer de próstata em Minas.
Para Liza, foi uma de suas grandes vitórias como deputada estadual de Minas:  “esse tipo de câncer é o segundo mais comum entre os homens, apenas atrás do câncer de pele. Essa é uma doença silenciosa que, se não diagnosticada e tratada a tempo, pode trazer inúmeras sequelas e até mesmo ocasionar a morte”.

A Lei determina a implantação e a difusão de formas eficazes de prevenção ao câncer, assim como a criação de condições para a melhoria da qualidade de vida do doente. A Lei 21.168 também estabelece o desenvolvimento dos recursos humanos na área da saúde, para que haja o aperfeiçoamento e a expansão da assistência aos pacientes.


Segundo dados do Instituto Nacional de Câncer (INCA), o câncer de próstata é o sexto tipo mais comum no mundo. Mais do que qualquer outro tipo, é considerado um câncer da terceira idade, já que cerca de três quartos dos casos ocorrem a partir dos 65 anos. O aumento observado nas taxas de incidência no Brasil pode ser parcialmente justificado pela evolução dos exames, pela melhoria na qualidade da informação e pelo aumento na expectativa de vida. De acordo com os médicos, se diagnosticado no início, as chances de cura são de 80% a 90%; se detectado em estágio avançado, essas chances diminuem para 10% a 20%.

quarta-feira, 25 de novembro de 2015

Dia Internacional para a Eliminação da Violência Contra as Mulheres

 Dia Internacional para a não-Violência Contra as Mulheres é comemorado anualmente em 25 de novembro.






A Organização das Nações Unidas (ONU), desde 1999, reconhece o dia 25 de novembro como o Dia Internacional para a Eliminação da Violência Contra as Mulheres.
A data tem o objetivo de alertar a sociedade sobre os casos de violência e maus tratos contra as mulheres. A violência física, psicológica e o assédio sexual são alguns exemplos desses maus tratos.
De acordo com as estatísticas, uma em cada três mulheres sofre de violência doméstica.


Liza Prado sempre defendeu os direitos da mulher. Confira algumas de suas ações:

Projeto de Lei 1570/2011
INSTITUI O FUNDO ESTADUAL DOS DIREITOS DA MULHER, E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS.

Requerimento 2594/2012
REQUER SEJA ENCAMINHADO À COORDENADORIA ESPECIAL DE POLÍTICAS PÚBLICAS PARA MULHERES DA SECRETARIA DE DESENVOLVIMENTO SOCIAL E AO CONSELHO ESTADUAL DA MULHER PEDIDO DE PROVIDÊNCIAS PARA O ESTABELECIMENTO DE METODOLOGIA PARA A ELABORAÇÃO DO ORÇAMENTO MULHER, COM VISTAS A SUBSIDIAR O MONITORAMENTO DOS RECURSOS A SER ALOCADOS NAS AÇÕES ORÇAMENTÁRIAS PARA A PROMOÇÃO E A PROTEÇÃO DOS DIREITOS DA MULHER NO ESTADO. 

A violência contra a mulher é uma questão social e de saúde pública, não distingue cor, classe econômica ou raça, está presente em todo o mundo.
A data surgiu em decorrência do Dia Latino Americano de Não Violência Contra a Mulher, que surgiu durante o Primeiro Encontro Feminista Latino-Americano e Caribenho de 1981, realizado em Bogotá, Colômbia, comemorado em 25 de novembro, em homenagem às irmãs PátriaMaria Tereza e Minerva Maribal, que foram violentamente torturadas e assassinadas nesta mesma data, em 1960, a mando do ditador da República Dominicana Rafael Trujillo.
As irmãs eram conhecidas por "Las Mariposas" e lutavam por soluções para os diversos problemas sociais de seu país, a República Dominicana. 

terça-feira, 24 de novembro de 2015

Presidenta da Utramig, Liza Prado abre Mostra Tecnológica 2015

Confiram a reportagem da TV Alterosa
Alunos da Utramig criam chuveiro adaptável para pessoas com deficiência

Estudantes da Utramig criam chuveiro adaptado para idosos e deficientes

Estudantes do curso técnico de eletrônica da Utramig criaram um chuveiro adaptado para idosos e pessoas com deficiência. Ele tem controle de altura e temperatura, além de poder ser usado pelos cegos.

http://www.alterosa.com.br/app/belo-horizonte/videos-dm/2015/11/20/interna-videos-dm,2093/estudantes-da-utramig-criam-chuveiro-adaptado-para-idosos-e-deficiente.shtml#.VlRaYdLF-E5

sexta-feira, 20 de novembro de 2015

Dia da Consciência Negra

20/11/2015 07h36 - Atualizado em 20/11/2015 07h36

Empreendedores negros focam em potencial do mercado afro no Brasil

50% dos empresários brasileiros são negros, segundo PNAD 2013.
Afroempreendedores usam experiências próprias para criação de negócios.

Larissa Santos*Do G1, em São Paulo
As irmãs Shirley e Sheila criaram o Makeda Cosméticos porque perceberam a dificuldade de se encontrar produtos para cabelos crespos e cacheados (Foto: Divulgação)As irmãs Shirley e Sheila criaram o Makeda Cosméticos porque perceberam a dificuldade de se encontrar produtos para cabelos crespos e cacheados (Foto: Divulgação)
O mercado profissional tem ganhado cada vez mais empreendedores negros e muitos deles preferem começar apostando em um público que já conhecem bem: os afrodescendentes. Segundo dados da Pesquisa Nacional por Amostras de Domicílios de 2013 (PNAD), das 23,5 milhões de pessoas donas de negócios no Brasil, 50% se declaram pretas ou pardas. O número aumentou 6% em comparação com 2003.
Foi assim com a Sheila Makeda e sua irmã Shirley Leela. A mãe delas é cabelereira há 20 anos e ensinou para as filhas como manter um cabelo bem cuidado. Com os ensinamentos, as irmãs decidiram virar sócias e abrir um salão de beleza. Depois de 12 anos, mudaram o foco do negócio. “Fui atender minhas clientes em domicílio e comecei a perceber a dificuldade que elas tinham para encontrar cosméticos”, afirma Sheila.
[Comecei a] gostar do meu cabelo como ele era e de assumir minha coroa"
Sheila Makeda
empresária
Ela percebeu que suas clientes de cabelos crespos e cacheados, de maioria negra, usavam diversos produtos porque não conseguiam encontrar um único que fosse ideal. Para ajudá-las, Sheila começou a procurar produtos em perfumarias para que elas testassem. “Junto com isso eu tive uma descoberta particular também, de gostar do meu cabelo como ele era e de assumir meus cabelos crespos, minha coroa, como chamamos”, relembra.
“A partir disso, eu comecei a trazer para as clientes minha história de identidade e falar para elas 'vamos deixar esse cabelo natural'. E elas perguntavam 'mas o que eu uso?'”, conta Sheila. Foi quando ela identificou a oportunidade de montar uma linha de produtos específicos para cabelos crespos e cacheados. Com a ajuda da irmã, que já tinha experiência em desenvolvimento de cosméticos, Sheila fez testes por um ano até que conseguiu lançar o primeiro produto. Três anos depois, aMakeda Cosméticos já tem uma linha com 11 produtos, todos criados pelas duas irmãs.
A empresa fica no mesmo lugar do salão anterior, na Zona Leste de São Paulo, e conta com mais cinco funcionários, incluindo a mãe das empreendedoras. O negócio hoje abrange todos os públicos. Sheila e Shirley também trabalham em um projeto de comercialização dos cosméticos com distribuidores na BahiaRondônia e Angola, além de terem e-commerce. “A gente foi acostumada a achar que só química resolve nosso cabelo e a nossa ideia é passar que com um bom produto você consegue ter o cabelo bem tratado”, afirma Sheila.
Cynthia Mariah (Foto: Reprodução/Instagram/Cynthia Mariah)
Afroempreendedores
O salão da Sheila e sua irmã faz parte do Projeto Brasil Afroempreendedor, uma iniciativa do Sebrae em conjunto com o Instituto Adolpho Bauer (IBA), o Coletivo de Empresários e Empreendedores Afro-brasileiros de São Paulo (Ceabra/SP) e a Associação Nacional dos Coletivos de Empresários e Empreendedores Afro-brasileiros (Anceabra).
“Esse projeto é uma experiência para se construir uma política pública de fortalecimento do afroempreendedorismo no Brasil”, afirma Adilton de Paula, coordenador nacional do projeto. A proposta é incentivar micros e pequenos empresários negros a tirarem seus negócios do papel ou da informalidade, dando orientação e qualificação para eles, através de consultoria e cursos.
O Projeto Brasil Empreendedor é desenvolvido em nove estados e conta com mais de 1.500 participantes. “Ainda há um olhar enviesado na sociedade que pensa que o negro não pode ocupar tal lugar ou ser empresário. Nós pensamos que pode sim e isso é um elemento fundamental para fortalecer a identidade da comunidade negra”, explica Adilton.
Dados processados pelo Sebrae a partir da PNAD 2013 revelam a distinção entre empresários negros e brancos. Enquanto 78% dos empreendedores declarados brancos são empregadores, entre os negros o número corresponde a 9%. Os demais (91%) são classificados como empresários por conta própria – aqueles que trabalham sozinhos ou com sócio, mas não contam com empregados remunerados.
Ainda há um olhar enviesado que pensa que o negro não pode ser empresário. Nós pensamos que pode sim"
Adilton de Paula
Projeto Brasil Afroempreendedor
Um exemplo desse tipo de empresário é a Cynthia Mariah, que criou um ateliê de roupascom o mesmo nome. “Primeiramente, comecei a fazer pensando em peças para mim, porque eu não achava coisas do jeito que eu gostava, faltava colorido e algo diferente”, conta a empresária.
Desde 2004 ela começou a costurar suas próprias roupas. Quando caíram no gosto das amigas, Cynthia decidiu começar a vender as peças, que são todas únicas e com temas afros. Em 2013, ela montou o ateliê dentro de sua própria casa. Lá ela também dá aulas de corte e costura artesanal e desenho de moda. “[Eu busco] a profissionalização do afroempreendedor porque muitos trabalham com moda afro, mas poucos têm o conhecimento de moda em si”, explica Cynthia.
A maioria dos clientes do ateliê são mulheres negras, tanto para as aulas como para a compra das peças. A empresária acredita que o reconhecimento da identidade negra tem fomentado esse mercado. “Desde 2010 o Censo já apontou que os negros se assumiam mais e isso deu uma melhorada no mercado, as pessoas buscaram mais esses produtos [com tema afro]”, afirma.
Empresárias de sucesso
Se os empreendedores negros sentem dificuldade de se estabelecerem hoje em dia, há 15 anos atrás a situação era menos favorável. Foi nessa época que as irmãs Joyce, Lucia e Cristina Venancio criaram a Preta, Pretinha, uma loja especializada em bonecas negras.
Quando crianças, as meninas sentiram falta de bonecas que as representassem e sempre questionaram o porquê de não existirem esses brinquedos no mercado. “Tínhamos um trabalho muito bem feito em casa relacionado a autoestima, minha avó explicava para nós nossa origem, sempre passando um lado positivo e de empoderamento”, conta Joyce Venancio.

Hoje, além da loja na Vila Madalena, em São Paulo, as irmãs também fazem trabalhos sociais com crianças para incentivarem a aceitação da identidade negra. As bonecas também foram diversificadas e ganharam modelos que representam, dentre outras, as meninas orientais, ruivas, indianas, muçulmanas e também as pessoas com deficiência, como síndrome de Down, por exemplo.
Foi a avó Maria Francisca que decidiu fazer uma boneca negra para as netas brincarem. Na vida adulta, depois de tentarem carreira em outras profissões, as irmãs decidiram se juntar para retomar o sonho da infância. “No mercado, as bonecas negras são estereotipadas com olhos grandes, boca vermelha e até nomes pejorativos, como 'nega maluca'. Até as roupas delas eram inferiores, feitas com tecido de chita. Nós não somos isso”, afirma Joyce.
Para Adilton de Paula, a importância dos empreendedores negros na sociedade não traz benefícios só para eles. “A população não negra precisa entender que isso não é uma guerra racial e não há ideias de fomentar o ódio e disputa entre raças, mas fazer com que as oportunidades sejam iguais para todos e que todos possam ajudar a construir o país”.
As irmãs Joyce (esq.), Cristina (dir.) e Lúcia (meio) abriram a loja Preta, Pretinha inspiradas pela avó e por um sonho de infância (Foto: Divulgação)As irmãs Joyce (esq.), Cristina (dir.) e Lúcia (meio) abriram a loja Preta, Pretinha inspiradas pela avó e por um sonho de infância (Foto: Divulgação)
(*Sob supervisão de Laura Naime)
Fonte: G1

20 de novembro: Dia da Consciência Negra.

 A consagração de novembro como mês da Consciência Negra reaviva a luta pela liberdade e resistência do povo negro no Brasil.

Foi em 20 de novembro de 1695 que morreu Zumbi dos Palmares, a liderança mais conhecida do chamado Quilombo dos Palmares, que se localizava na Serra da Barriga, atual estado de Alagoas. A fama e o símbolo de resistência e força contra a escravidão mostrado pelos palmarinos fizeram com que a data da morte de Zumbi fosse escolhida pelo movimento negro brasileiro para representar o Dia da Consciência Negra.
 
A data foi estabelecida pela Lei 12.519/2011.  Outro motivo para a escolha dessa data foi o fato de que, no Brasil, o fim da escravidão é comemorado em 13 de maio. Nesse dia, no ano de 1888, a princesa Isabel assinou a Lei Áurea que abolia a escravidão no Brasil.


quinta-feira, 19 de novembro de 2015

Liza Prado na Comissão da Verdade

Autora do Projeto de Lei 3296 que, em 2012, criou em Minas a Comissão da Verdade Herbert de Souza, para colaborar com a Comissão Nacional da Verdade, a presidenta da Utramig, Liza Prado, participou nesta semana da posse dos novos integrantes da Covemg. Foi na quarta-feira, no auditório da Imprensa Oficial de Minas Gerais. Carlos Melgaço Valadares, Paulo Afonso Moreira e Robson Sávio Reis Souza vão conduzir o colegiado, que foi prorrogado por mais dois anos (até agosto de 2017), para esclarecer sobre as violações de direitos humanos em território mineiro entre 1946 e 1988.

19 de novembro: Dia da Bandeira


terça-feira, 17 de novembro de 2015

MG tem mil vagas de trabalho para pessoas com necessidade especial


Maioria das ofertas, 508, é para empresas que estão em Belo Horizonte.

Lei manda que empresas com 100 ou mais empregados preencham vagas.


Minas Gerais tem, atualmente, 1.096 vagas de trabalho em aberto para pessoas com algum tipo de necessidade especial. A maioria das ofertas, 508, é para empresas que estão em Belo Horizonte.
Os cargos mais ofertados são para auxiliar de limpeza, atendente de telemarketing, recepcionista e cobrador de transporte coletivo com salários que variam entre R$ 788 e R$ 2.384.

Os interessados podem acessar o portal Mais Emprego e selecionar as opções que têm interesse, além de montar próprio perfil.
Quem preferir pode comparecer a um dos 133 postos do Sine, presentes em 121 cidades mineiras. Você pode descobrir o Sine mais próximo pelo site .
O aumento de vagas, segundo o Governo, se deve às captações realizadas em outubro, após o Dia D (Dia Nacional de Inclusão Social e Profissional da Pessoa com Deficiência e dos Beneficiários Reabilitados do INSS), em que diversas empresas que receberam orientações sobre a empregabilidade das pessoas com deficiência.
A Lei de Cotas (8.213/91), como é conhecida, determina a obrigatoriedade de empresas com 100 ou mais empregados preencherem uma parcela de seus cargos com pessoas com deficiência. Quem não cumpre a cota pode pagar multa.
Fonte: G1 MG


quinta-feira, 12 de novembro de 2015

PopRua terá 1° representante da população em situação de rua eleito em Uberlândia

Representantes da população em situação de rua que vão compor o Comitê Intersetorial de Acompanhamento e Monitoramento da Política Estadual para a População de Rua de Minas Gerais, o PopRua-MG, começaram a ser eleitos nesta terça-feira (10), em Uberlândia,. O Comitê é uma instância paritária para discussão e construção de políticas para as pessoas em situação de trajetória de rua, em conjunto com movimentos, entidades e outras secretarias de Estado que atuam com o segmento.


Ao todo, o PopRua terá 11 integrantes titulares da sociedade civil e igual número de suplentes, sendo uma vaga para órgão de representação profissional, cinco para pessoas físicas da população em situação de rua e outras cinco para entidades que possuam atuação direta ou indireta com a temática. Além de Uberlândia, os outros quatro representantes da população em situação de rua serão eleitos em Ipatinga, Juiz de Fora, Montes Claros e Região Metropolitana de Belo Horizonte (RMBH).
Os movimentos sociais, com no mínimo dois anos de atuação, e entidades de representação profissional tiveram até segunda-feira (9) para se candidatar a uma das vagas destinadas à sociedade civil. O PopRua terá também 11 integrantes do poder públicos, com os respectivos suplentes.
Coordenado pela Secretaria de Estado de Direitos Humanos, Participação Social e Cidadania (Sedpac), o Comitê contará com representantes das secretarias de Governo, Planejamento e Gestão, Defesa Social, Saúde, Trabalho e Desenvolvimento Social, Educação, Cultura, Esportes, Desenvolvimento Regional, Política Urbana e Gestão Metropolitana, Polícia Militar, Tribunal de Justiça e Servas.
Os titulares e suplentes do poder público serão indicados pelos secretários de Estado. Já os representantes da sociedade civil serão definidos por meio de assembleias de eleição. As inscrições dos integrantes da população em situação de rua acontecem no próprio local da assembleia.
Para a seleção das entidades que possuam atuação direta ou indireta no tema, será realizada assembleia no dia 24 de novembro, em Belo Horizonte, assim como para a escolha de representantes de entidade profissional.
Uma equipe da Diretoria de Defesa e Reparação dos Direitos Humanos da Sedpac, em parceria com o Movimento Nacional da População de Rua, está visitando os municípios que sediarão as assembleias neste mês.
Após a realização desses eventos, a Sedpac publicará e divulgará os nomes dos titulares e suplentes do PopRua-MG.
Fonte: Correio de Uberlândia

Minas faz pesquisa com empresários para formatar Pronatec 2016

A Secretaria de Estado de Trabalho e Desenvolvimento Social (Sedese) finalizou levantamento junto a empresários de Minas Gerais para detectar as demandas de vagas para cursos do Pronatec em 2016. A ação, que busca encontrar cursos de qualificação que se encaixem nas reais necessidades do mercado de trabalho mineiro, é inédita e vai de encontro à proposta de gestão adotada pelo Governo de Minas Gerais de “ouvir para governar”.
O questionário online, elaborado em parceria pela Sedese e pela Secretaria de Estado de Desenvolvimento Econômico (Sede), foi respondido por empresários e servirá de base para a definição de cursos gratuitos e números de vagas para o primeiro semestre do ano que vem. Finalizada no dia 23 de outubro, a pesquisa registrou 504 cadastros de empresas e 267 solicitações de cursos de qualificação do Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego (Pronatec).
O diretor de Educação para o Trabalho da Subsecretaria de Trabalho e Desenvolvimento Social e responsável pelo Pronatec na Sedese, Eduardo Mendes Bernardes Santos, ressalta o pioneirismo da ação articulada pelas secretarias de Estado. “Trabalhamos juntos para oferecer cursos que qualifiquem o cidadão para demandas reais do mercado de trabalho. Esta foi a primeira janela de levantamento e outra poderá ser aberta ainda este ano”, sinaliza.
Com maior participação nas respostas ao questionário online, os territórios Sudoeste, Norte e Metropolitano foram os que mais enviaram suas demandas, sendo elas voltadas para os trabalhadores da produção de bens e serviços industriais e de serviços administrativos. Agora, a Sedese aguarda o posicionamento do Ministério da Educação (MEC) e do Ministério do Trabalho e Emprego (TEM) na formulação dos processos de atendimento à demanda para 2016.
content_artepronatec
Pronatec em Minas Gerais
Para 2016, já foram levantadas a demanda por 25.825 vagas. Desse total, 80,3% é destinada à Formação Inicial Continuada (FIC) e 19,7% para os cursos técnicos. Quanto ao perfil dos beneficiados com as vagas solicitadas pelos empresários, 39,5% foram demandadas para os atuais funcionários das empresas. A maior parte das vagas, no entanto, foi demandada para novas contratações (60,5%).
As vagas foram demandadas para diferentes áreas de trabalho, entre os quais destacam-se os pedidos de qualificação nos setores do agronegócio; alimentício; automotivo; comércio; confecções e têxtil; construção civil; energia; fármacos; metalurgia e siderurgia; química; serviços; transporte de cargas e passageiros, dentre outros.
Minas Gerais é o estado com maior oferta de cursos de qualificação do Pronatec. Em 2015,  programa contou com a participação de 325 municípios mineiros e 33.239 vagas em varias áreas de formação, sendo 24.050 somente para os cursos da modalidades FIC e 9.189 na modalidade técnico. 
Fonte: Correio de Uberlândia

quarta-feira, 11 de novembro de 2015

CURSO GRATUITO NA UTRAMIG: BRIGADISTA DE INCÊNDIO

Uma nova Utramig

Desde que assumiu a administração da Fundação UTRAMIG, em março passado, a presidenta Liza Prado ampliou não somente a oferta de cursos técnicos, mas também de cursos de qualificação gratuitos, do FIC/Pronatec: de somente um curso e 11 alunos há nove meses, hoje a Utramig tem 21 cursos de qualificação e 590 estudantes. Nesta semana, ela assinou edital de abertura de um novo curso gratuito na unidade de Uberlândia, de Brigadista de Incêndio. O curso será realizado nos dias 24, 26, 28 e 30 deste mês e no dia 2 de Dezembro, e as matrículas já estão abertas na Secretaria da escola, na Rua Souza Costa nº 20, Bairro Tabajaras.

 Para se matricular, o candidato deverá apresentar carteira de identidade (original e cópia); CPF (original e cópia); e comprovante de residência atualizado. O curso terá a duração de 20 horas e os alunos deverão obter a frequência mínima de 75% nas aulas para receberem o certificado de conclusão, além de um mínimo de 60% de aproveitamento dos pontos distribuídos. Será aberta uma turma com 40 vagas, que serão preenchidas por ordem de chegada dos candidatos.

terça-feira, 10 de novembro de 2015

Atendimento à pessoa com deficiência intelectual será ampliado em Uberlândia


Como presidenta da Comissão de Defesa dos Direitos da Pessoa com Deficiência da Assembleia Legislativa de Minas, Liza Prado assinou diversos Projetos de Lei dirigidos a esta população, entre eles o PL 4254 201, que instituiu o Estatuto das Pessoas com Deficiência em Minas Gerais


O atendimento à saúde da pessoa com deficiência intelectual em Uberlândia passa a contar com três novos Serviços Especializados de Reabilitação em Deficiência Intelectual (SERDI), que chegam também às cidades de Ipatinga e Curvelo.
Os prestadores são as entidades da Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais (APAE) de cada um dos três municípios, que vêm se somar aos mais de 130 prestadores da Rede Estadual de Atenção ao Deficiente Intelectual.
A definição dos novos Serviços e a determinação dos valores a serem repassados mensalmente às instituições, já a partir deste mês de novembro, foram pactuados entre a Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais (SES-MG) e o Conselho de secretarias municipais de Saúde de Minas Gerais (Cosems/MG) na reunião da Comissão Intergestores Bipartite (CIB), que aconteceu no dia 21 de outubro.
308 pacientes em Uberlândia
Dessa forma, será destinado um total de R$ 609.557,28 mil aos novos serviços, recurso proveniente do programa federal Viver Sem Limite, que deverá beneficiar, de imediato, 537 pacientes com deficiência intelectual nos três municípios, sendo 110 em Curvelo, 119 em Ipatinga e 308 em Uberlândia.
Segundo o Coordenador de Atenção à Saúde da Pessoa com Deficiência (CASPD) da SES-MG, David Mello de Jesus, esses números devem aumentar. “Hoje, este é a quantidade de pacientes que estas instituições atendem, porém o benefício possibilita atender mais pacientes. Se eles prestavam assistência a este número de pacientes sem financiamento, esperamos que com o financiamento este número aumente”, conta David. Incentivo adicional Além do valor estipulado acima, os três novos Serviços ainda poderão aderir ao Programa de Intervenção Precoce Avançado (PIPA), criado pela SES-MG, que prevê um incentivo adicional de R$ 152.389,32 mil anuais.
Essa parcela dos recursos visa a estimular a ampliação do atendimento nesses municípios, a recém-nascidos e crianças de até 6 anos, com risco para o desenvolvimento de deficiência intelectual. Com a definição dos novos serviços, a SES-MG, por meio do CASPD, assume o papel de monitorar, avaliar e acompanhar as instituições, e no auxílio à criação de fluxos de encaminhamento, e fortalecimento da regionalização do atendimento.
Serviços Especializados de Reabilitação em Deficiência Intelectual Integrantes da Rede de Cuidados à Pessoa com Deficiência do Sistema Único de Saúde (SUS) em Minas Gerais, os SERDI são credenciados para o atendimento terapêutico especializado e acompanhamento com equipe interdisciplinar de pessoas com deficiência intelectual e pacientes autistas. As equipes são formadas por médico, fisioterapeuta, fonoaudiólogo, terapeuta ocupacional, psicólogo e assistente social, que atuam no sentido de promover a melhoria das condições de vida do paciente com deficiência intelectual, e para sua independência nas atividades de vida diária.

Fonte: Gazeta de Uberlândia